Caetano Veloso é vaiado em show após gritar “Lula Livre”, diz Rodrigo Constantino

COMPARTILHAR

Sociedade – O cantor e defensor da extrema-esquerda Caetano Veloso disparou “Lula Livre” em um de seus shows e acabou vaiado. O fato é inusitado pois o público do cantor, em sua maioria, compactua das suas bandeiras e iniciativas políticas. Rodrigo Constantino escreveu sobre o ocorrido em seu blog na Gazeta do Povo. Leia o texto na íntegra:

“A vida de esquerdista radical não está fácil, ainda mais agora que a bolha estourou. Caetano Veloso, aquele que defende black blocs, MST, PSOL e PT, mas que banca o “intelectual” moderado e “progressista”, resolveu transformar seu show com os filhos num evento político, e clamou pela soltura do bandido Lula, condenado e preso por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio. O resultado, segundo um site de esquerda, não foi o esperado:

Quando entoa “Força estranha” (de sabidas referências a Roberto Carlos) aí sim, o público canta a plenos pulmões. Sentindo-se mais confiante, Caetano solta um “Lula livre”.

O que se vê é a transformação imediata daquela plateia em fúria, urros, uma vaia estrepitosa como ele só deve ter conhecido no palco do festival da canção, no Maracanãnzinho, quando em setembro de 1968 tentou cantar “É Proibido proibir”. Distingue-se a débil tentativa do grupo jovem que ocupa as primeiras fileiras do teatro, sabe-se lá a custa de quanto sacrifício, para pagar com mesadas os ingressos salgados do show, por isto, em minoria, de reproduzir a palavra de ordem: “Lula livre”. Aqui e ali gritos de: “pega ladrão”, e, ainda, “viva Moro”.

[…]

Moreno, no entanto, Caetaneou. Ao final do show, quando de pé o público exigia o bis, voltou ao palco e disparou: “o meu pai já disse e eu vou repetir: “Lula livre”.

Estava de novo, e desta vez mais forte, formada a “força estranha” que impulsiona aquela gente. Vaia, gritos, revolta e, aplausos esquizofrênicos – quer dizer, entusiasmados – no final, para o quarteto.

Na saída, deu para ouvir, de uma senhora com a chapinha em dia e um bem cortado casaco preto, reagir: “o que ele está pensando? Vem levantar bandeira aqui…”

O autor da notícia, um petista fanático, lamenta a “elite” que pode pagar pelo show de Caetano reagir dessa forma, e conclui que quando o “povo” pode opinar, costuma fazer coro ao grito do cantor. Povo, para essa turma, é a claque vermelha movida à mortadela, que fique claro.

Resta saber como Caetano vai fazer para sustentar sua vida de nababo só com o “povo”, já que seu público alvo sempre foi a elite da esquerda caviar. Pelo visto, nem mesmo a elite culpada que costuma ir a show desse trio chato da máfia dendê aguenta mais tanta politização e ideologia tosca em vez de músicas. Cae vai acabar sendo abandonado por quem efetivamente paga suas (enormes) contas…

PS: Adoraria ver um vídeo desse momento democrático de vaia contra o petismo criminoso de Caetano. Alguma boa alma gravou e pode mandar para esse blog?

Rodrigo Constantino”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui