O que Palocci pode falar? Desde bancos até Lula

COMPARTILHAR

LAVA-JATO — Nesta quinta-feira (26), Antonio Palocci, ex-ministro da fazenda de Lula, firmou um acordo de delação premiada com a operação lava-jato. Palocci era um dos réus mais esperados para fazer sua delação. Mas afinal, o que Palocci pode falar?

Antonio Palocci, por ter sido ministro da fazenda, era uma das principais pontes entre o PT e o mercado financeiro. Espera-se que Palocci entregue ilícitos de grandes bancos, rastreando portanto a origem de grandes empréstimos à empresas como a Odebrecht. Afastado de seu cargo, Palocci também prestou consultoria para os bancos Itaú, Bradesco, Santander e BTG Pactual.

Em seu depoimento à Moro, Palocci disse que poderia tratar de temas do mercado financeiro. Disse que poderia, “em sigilo”, contar quem foi a “grande personalidade do meio financeiro” que o procurou para “capitalizar” a “provisão de R$200 milhões da Odebrecht ao PT”. Com essa afirmativa, espera-se que o ex-ministro entregue ao menos um grande banco em sua delação.

Os advogados afirmaram, na petição, que o ex-ministro abordaria a formação e o financiamento da Sete Brasil; conversas das quais participou para organizar o esquema de propina decorrente das sondas; atos por ele praticados para o recebimento de propinas; vantagens indevidas que ele solicitou, além de indicação da origem e do destino das propinas.

Palocci pode entregar várias ilicitudes do governo Lula. Parece que a esperança que o STF deu ao ex-presidente com a decisão sobre delações no caso do sítio de Atibaia acabou.

As informações são da Gazeta do Povo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui