Imprensa tradicional quer calar mídia alternativa retirando páginas de direita do Facebook. Tempos de censura?

COMPARTILHAR

Sociedade — A grande imprensa tradicional perde espaço a cada dia, principalmente por causa da força das redes sociais que impulsionam mídias alternativas, e isso representa um perigo para os setores que, até então, dominavam a comunicação no país.

Com a popularização do debate sobre ‘fake news’, aqueles que sempre conseguiram manipular a opinião pública encontraram uma forma de atacar novos comunicadores, principalmente no Facebook. E como as redações da velha imprensa possuem, em maioria, alinhamento a esquerda, as vozes da direita se tornaram os alvos.

Em seu Instagram, o deputado Eduardo Bolsonaro informou que páginas de apoio à Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República, foram retiradas do ar.

E adiantou que os donos das páginas em questão irão entrar na Justiça. Veja:

Poucos dias atrás, a página oficial de divulgação das análises sobre política do blog Ceticismo Político, com editorial de direita, também foi retirada do ar após acusações de fake news.

O Movimento Brasil Livre também está sob forte ataque da imprensa que acusa o MBL de espalhar fake news, usando como argumento uma uma pesquisa da USP que sequer existe. Ou seja, usam fake news para acusar outros de fake news.

Em entrevista ao Boletim da Liberdade, o coordenador nacional do MBL Renan Santos declarou que o MBL irá tomar as medidas judiciais cabíveis: “Já estamos com advogado desde a matéria da semana passada que falou que a gente divulgou fake news. Inclusive eles citavam aquele estudo da USP para falar isso. Mas o estudo da USP é fake news da USP. Isso já está com advogado. E não vai ser nem [para pedir] direito de resposta. Já vai para calúnia e difamação direto.”

“Existe uma intenção deliberada do Grupo Globo em atacar a gente. O objetivo final é tirar nossa página do Facebook do ar.”, disse Renan.

Sobre os ataques contra a liberdade de pensamento de setores da direita, principalmente na internet e meios de comunicação, o MBL soltou nota oficial. Leia na íntegra:

Nota Oficial sobre o AI-5 Global

“Conforme previsto, a rede de mentiras orquestrada pela esquerda começou a alcançar seus verdadeiros resultados: a censura e a derrubada de páginas de facebook de ativistas de direita e anti-corrupção. Na última semana derrubaram o conhecido site de análises políticas “Ceticismo Político”; nesta, duas páginas de apoio ao deputado Jair Bolsonaro.

O padrão percebido é sempre o mesmo: veículos de credibilidade manchada acusam de fake News aqueles que discordam; “especialistas” ligados ao PT emitem laudos validando a farsa; facebook, sob pressão, retira do ar as páginas vítimas de censura. O artifício também conta com o apoio de setores do judiciário, como prova a atuação estabanada do Ministro do STF Luís Fux ao usar uma notícia falsa para combater notícias falsas.

O MBL também vem sendo alvo desta campanha de censura. O objetivo da grande imprensa é calar opiniões divergentes e devolver o Brasil ao estado de letargia e ruminância que o país se encontrava antes das redes sociais. Éramos presas fáceis de suas novelas defensoras de bandido, de seus jornalistas de DCE e de seus falsos consensos politicamente corretos. Sob sua “cobertura vigilante” estaríamos vivendo em uma ditadura socialistas. Dói-lhes a alma saber que o brasileiro não é gado em seu pasto de mentiras.

Nosso grupo lamenta a censura às páginas que apoiavam o candidato, bem como o abuso cometido contra o Ceticismo Político. Não serão divergências políticas que farão nossa disposição democrática se alterar. Mas fica o alerta: Se os brasileiros de bem não começarem a se mobilizar, muitas outras vítimas virão.”

Mais cedo, o movimento já havia lançado nota respondendo aos ataques que vem recebendo.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui