Valores do caixa 2 da Odebrecht para obras no sítio de Atibaia foram rastreados

COMPARTILHAR

PR, Curitiba — Os valores que saíram do caixa 2 da Odebrecht para pagar obras feitas no sítio de Atibaia, de Lula, foram rastreados segundo informações do procurador Deltan Dallagnol para O Globo.

O Ministério Público Federal indicou técnicos do Ministério Público da União e da Polícia Federal para acompanhamento da perícia no sistema de contabilidade da empreiteira, com autorização do juiz Sérgio Moro. O sistema MyWebDay registrou quatro operações de crédito, num total de R$ 700 mil, para o centro de custo “Aquapolo” entre os dias 16 e 30 de dezembro de 2010.

Diz O Globo:

“O centro de custo era controlado por Emyr Diniz Costa Junior, executivo da Odebrecht e um dos delatores da empresa. Segundo Emyr, o dinheiro foi retirado em espécie, em dois saques, e usado para pagar material de construção usado na reforma do sítio. Os saques aparecem, segundo o MPF, com a sigla EAO – que seria Emílio Alves Odebrecht, já que o empresário seria o responsável pelos valores liberados a favor de Lula.

As entregas do dinheiro teriam sido feitas por pessoas identificadas como ‘MG’ e ‘Márcia’, com as senhas de entrega ‘Natalino’ e ‘New Year’.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui