Massacre em escola dos EUA e a política de desarmamento

COMPARTILHAR

OPINIÃO — Ontem, infelizmente, houve mais uma chacina nos EUA que vitimou 17 pessoas na escola em Parkland na Flórida. Esta notícia que se torna cada vez mais comum nos EUA sempre traz para discussão o tema a respeito da liberação do uso de armas por civis, valendo-se desta situação muitas pessoas que adotam a ideologia de esquerda para venderem o discurso a favor do desarmamento, o que, numa reflexão superficial, realmente parece ser a melhor medida para se evitar a ocorrência de massacres.

No entanto, se analisarmos bem o caso podemos perceber que mesmo que houvesse uma política de desarmamento efetiva nos EUA, onde fosse proibido o acesso a armas a todos os cidadãos, mesmo assim não seria possível evitar o massacre que ocorreu na escola em Parkland, uma vez que quem pratica este tipo de crime está determinado a matar e nada o impediria de praticar o ato.

Não estamos falando aqui de um crime de momento, onde se tem uma reação espontânea e imediata, embora desproporcional, contra uma pessoa que desagradou o assassino, mas sim de um crime premeditado, minuciosamente preparado, do qual o assassino estudou possivelmente por bastante tempo todo o percurso do crime, desde o local de execução (escola), as vítimas em potencial (estudantes desarmados), a isca para o alvo (alarme de incêndio para concentrar as vítimas nos corredores), tempo até a chegada da polícia e etc.

Uma pessoa que possui esta perturbação mental refletida num desejo incontrolável de matar pessoas e executa essa atrocidade, ela não seria impedida pelo simples fato de ser proibido a compra e acesso de armas por civis, pois certamente o assassino se valeria do contrabando para adquirir a arma que quisesse para prosseguir na sua jornada delituosa. Quem tem coragem de matar 17 pessoas certamente também teria coragem e capacidade para adquirir as armas e munições no mercado ilegal.

Ressalta-se que o alvo escolhido foi novamente uma escola americana, mas por que será que esses assassinos optam por este tipo de alvo? Se fosse por causa da quantidade de pessoas apenas outro alvo em potencial seriam os aeroportos, mas não, esse tipo de assassino prefere as escolas porque todos lá estão desarmados, enquanto nos aeroportos existem seguranças e policiais armados que irão combater. Pelo mesmo motivo esse tipo de crime não é praticado nas ruas americanas, visto que o assassino sabe que existe grandes chances de ser abatido por algum civil que esteja armado, o que já ocorreu algumas vezes nos EUA.

Vale lembrar que desde os tempos antigos sempre foi garantido o direito de defesa por meio do uso de armas, mas parece que existe uma minoria que opta por ignorar essa experiência milenar de segurança pessoal por acreditar que o problema estão nas armas e não nas pessoas, achando elas que a simples proibição de acesso as armas impediria um lunático de matar seu desafeto.

Por fim, deixo como reflexão a seguinte questão: Se o assassino da escola em Parkland na Flórida soubesse que muitos alunos andavam armados, será que ele teria praticado essa chacina naquele local?

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui