PF enquadra militante extremista que ameaçou desembargadores que irão julgar Lula

COMPARTILHAR

MS — Em áudio vazado de grupo no WhatsApp, Urias Fonseca Rocha, ex candidato a vereador do Partido Comunista do Brasil em Campo Grande, MS, dizia sobre Lula:

“Se Lula for condenado, temos que brigar até as últimas consequências. Se precisar guerrear, nós temos que guerrear, nós temos que lutar. Nós temos que ir pra rua, ir pro pau. Nós temos que lutar. Talvez, quem sabe, até guerrilha. Montar guerrilha, começar a estourar cabeça de coxinha, de juiz, né, mandar esses golpistas para o inferno (…) Se nós precisar derrubar o prédio, tem que derrubar. Se precisar lutar, tem que lutar. Se precisar pegar cada um daqueles juízes depois da condenação, tem que pegar”.

A repercussão foi grande e negativa. A Polícia Federal instaurou um inquérito para averiguações. Urias confirmou a autoria e teor da gravação, mas disse ser “contra qualquer tipo de violência”. Não é o que o áudio em questão demonstrava. No fim, a PF entendeu que se tratava de um “crime de menor potencial ofensivo” e não indiciou o extremista. O PCdoB suspendeu a filiação do militante.

As informações são da Veja.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui