No país da bandidolatria: Conselho de Política Criminal teme que condenados sofram “danos físicos, sociais e psicológicos” por usarem tornozeleira eletrônica

COMPARTILHAR
DF — O Governo publicou em 17 de novembro de 2017 as resoluções definidas pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária.
Entre os temas do documento, as novas regras para a aplicação de tornozeleiras eletrônicas evidencia que estamos mesmo no país da “bandidolatria”.

Na publicação é definido que o monitoramento deve restringir-se “às mais graves violações de direitos humanos”. E, o detalhe é de que ele precisa ser voluntário.

Ainda, a aplicação deve primar pelo uso de tecnologia menos lesiva, com equipamentos leves, discretos e anatômicos, com vistas a minimizar a estigmatização e demais danos físicos, sociais e psicológicos”.

Ao final, ainda proíbe que o equipamento seja utilizado com “sentido de punição”. (?)

Como nada que já é ruim não possa piorar, aceita como justificativa a possibilidade de uso de tornozeleira como alternativa a prisões lotadas.

Só faltou pedir desculpas aos condenados por obriga-los a pagar por seus crimes.

É o país dos sonhos de Maria do Rosário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui