Câmara suspende salário e benefícios de Paulo Maluf

COMPARTILHAR

DF — A Diretoria Geral da Câmara dos Deputados determinou a suspensão do pagamento do salário e dos benefícios do deputado federal Paulo Maluf.

Na quarta-feira, 20, o ministro do STF Edson Fachin expediu mandado de prisão contra Maluf e determinou o cumprimento da pena de 7 anos e 9 meses, em regime fechado na Penitenciária da Papuda, em Brasília. Após a notícia, Maluf se entregou à Polícia Federal.

A defesa do deputado pediu a suspensão do pedido de cumprimento da pena. Cármen Lúcia, presidente do STF, negou a suspensão. Em seguida, o juiz Bruno Aielo Macacari, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, enviou ofício à PF para cobrar a imediata transferência de Paulo Maluf para Brasília.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Maluf recebeu propina de contratos públicos com as empreiteiras Mendes Júnior e OAS durante o tempo em que foi prefeito de São Paulo, 1993 a 1996. Os recursos foram desviados da construção da Avenida Água Espraiada, hoje chamada Avenida Roberto Marinho. A obra tinha o custo de 800 milhões de reais.

A informações é da assessoria de imprensa da presidência da Câmara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui