Depois de fugir da ditadura assassina de Maduro, opositor Ledezma vai denunciá-lo pelo mundo

COMPARTILHAR

O líder da oposição venezuelana Antonio Ledezma foi preso em 2015 sob a narrativa de que ele “planejava um golpe”. Condenado à prisão domiciliar em Caracas, conseguiu fugir  pela fronteira para a Colômbia nesta sexta (17) e depois viajou à Espanha para iniciar uma turnê internacional para lutar contra a tirania do ditador Nicolás Maduro.

Ledezma conseguiu passar por 29 postos de controle da polícia e do Exército durante uma jornada clandestina por via terrestre que manteve em segredo de possíveis sabotadores.

“Qualquer destino para lutar pela liberdade da Venezuela é bom, essa é a bússola, a minha bússola tem vários destinos, vou fazer uma peregrinação ao redor do mundo”, disse Ledezma a jornalistas no aeroporto de Cúcuta, onde embarcou em um avião privado para Bogotá.

“(A Nicolás Maduro, eu digo) para parar, é hora de se afastar e permitir um governo de transição, Maduro não pode continuar torturando o povo da Venezuela”, acrescentou.

“Peço a minha esposa e filhas que entendam. Elas passaram longas horas de angústia sem saber onde eu estava”, disse o veterano de 62 anos aos repórteres na cidade de Cúcuta depois de cruzar uma ponte de San Antonio, na Venezuela.

“Foi uma decisão só minha”, acrescentou.

Agora ele irá denunciar os horrores perpetrados por Maduro para o mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui