VAZAMENTO: Líderes do SIMPA, que pedem a cabeça de Nelson Marchezan, são filiados a partidos de oposição

COMPARTILHAR

RIO GRANDE DO SUL — Desde que assumiu a prefeitura de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr. tem enfrentado uma onda de ataques orquestrados pela oposição. 

A cidade corre o risco de perder os repasses federais por irresponsabilidade fiscal, uma vez que desde 2011 gasta muito mais do que arrecada. Como é de se esperar de um gestor responsável, a minimização de gastos com o funcionalismo público tem sido o principal objetivo do prefeito. 

Desde então Marchezan sofreu até ameaças de morte, sendo preciso acionar mais de 20 indivíduos na Justiça para garantir a integridade física do prefeito, como já revelado neste site. 

Entre os grupos que estão incitando o ódio e disseminando mentiras contra Marchezan, o mais empenhado parece ser o SIMPA, o Sindicado dos Municipários de Porto Alegre. 

Tivemos acesso exclusivo a uma relação das vinculações partidárias de dirigentes do SIMPA que comprova o que todos já imaginavam: eles estão trabalhando para os partidos extremistas que são oposição de Marchezan e não pelos trabalhadores de Porto Alegre.

O Simpa está aparelhado e é apenas um instrumento de mobilização dos partidos de extrema esquerda: PSOL, PT e PC do B. Alguns pelegos, inclusive, concorreram nas eleições passadas, como mostra o documento:

untitled.png

O ativista político Arthur Moledo Do Val, do canal Mamãe Falei, esteve nesta semana em uma manifestação do SIMPA.

“Os funcionários aqui, os municipais, recebem a cada 3 anos um aumento de 1%, a cada 15 anos um aumento de 15% e a cada 25 anos um aumento de 10%. Acontece que desde 2011 até hoje, Porto Alegre gasta mais do que arrecada, e ela já está quase na linha de proibição de repasses federais por causa de irresponsabilidade fiscal, ou seja, se Porto Alegre não cortar gastos, principalmente do funcionalismo público, com folha de pagamento, ela corre o risco de perder os repasses federais. Engraçado que quando o Lula tirou isso em âmbito federal ninguém de sindicato reclamou”, explica Arthur no início do vídeo.

Após questionar os “manifestantes”, acabou sendo agredido.

Mais tarde foi revelado por um dos homens que o agrediu que os sindicalistas haviam pago R$50 reais para que o Youtuber sofresse danos físicos.

Confira o vídeo:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui