Em entrevista exclusiva, Arthur do Val anuncia candidatura a deputado estadual em 2018

COMPARTILHAR

SÃO PAULO — O ativista político Arthur Moledo do Val, do canal Mamãe Falei, concedeu uma entrevista exclusiva ao Diário Nacional e contou que irá, de fato, sair candidato para o legislativo estadual de São Paulo em 2018.

Arthur ficou conhecido nacionalmente por questionar a militância de esquerda durante protestos e atos.

Apenas com uma câmera, a cara e a coragem – literalmente – ele demonstrou inúmeras vezes como os manifestantes não sabiam pelo o que estavam “lutando”, conheciam superficialmente o assunto que tentavam defender, e, consequentemente, acabavam servindo como massa de manobra para interesses de partidos políticos.

O canal Mamãe Falei surgiu em maio de 2015. Arthur conta que o criou para reclamar da quantidade de imposto que pagava e queria, de alguma forma, expor sua indignação. No início os vídeos não alcançavam muitas pessoas. 

A primeira vez que testou o formato que hoje é sua marca registrada foi durante uma manifestação a favor do ex presidente petista Lula, que ocorreu na Casa Civil. Ele foi até o local e percebeu que as pessoas “não sabiam nem o que era a Casa Civil”. Quase um ano depois, o canal se tornou sucesso na internet.

Como consequência da sua experiência no ativismo, Arthur agora da um passo a mais para ser um dos responsáveis pelas reformas necessárias para o desenvolvimento do Brasil. Irá concorrer pela primeira vez ao mandato de deputado estadual no ano que vem. 

DN: O que te motivou a querer concorrer a um cargo legislativo?

A indignação com a miséria e a violência no Brasil, causada por políticos corruptos e esquerdistas. O governo rouba praticamente metade do salário dos trabalhadores todos os meses sem dar nada em troca. O pior de tudo é que glorificam a própria canalhice com motes como “O petróleo é nosso! Precisamos lutar por direitos! Por mais justiça social!”. No fim, estão todos defendendo os próprios privilégios. Quero entrar para a política para lutar contra toda essa podridão.

DN: Já existe negociação com algum partido?

Ainda estou avaliando. A triste verdade é que os partidos brasileiros não são ideológicos, a escolha tem de ser feita estrategicamente. Quero um partido que me de independência e seja competitivo.

DN: Quais serão suas principais propostas?

Combater o caos na segurança pública com policiais bem treinados e bem equipados; lutar para que a prioridade dos investimentos em educação seja o ensino básico, não o superior; lutar pelo fim dos privilégios do funcionalismo público — inclusive dos deputados estaduais –, que sao pagos com o dinheiro dos mais pobres; pressionar para que o governador corte gastos inúteis e foque no que realmente é prioridade: segurança, saúde, educação e mobilidade urbana.

DN: Você pensa em seguir uma “carreira” política? Concorrer ao Congresso Nacional ou até mesmo a algum cargo no Executivo, no futuro?

Tudo o que eu puder fazer para desmascarar o discurso socialista e combater privilégios, vou fazer. Não estou entrando na política para ser um peso morto. Estou confortável iniciativa privada, a carreira pública é um sacrifício, uma missão.

DN: Como vai ficar o canal Mamãe Falei? Você continuará fazendo vídeos?

Com certeza. Quero usar o poder do canal para fazer com que a população entenda e preste atenção no que acontece no legislativo estadual. A ALESP é, hoje, uma verdadeira caixa preta.

DN: Muitos criticam quando ativistas optam por entrar para a política pois acreditam que o trabalho de pressionar os representantes através da pressão pública é essencial, e isso tem grande participação dos influenciadores de opinião – como é o seu caso. Como você responde a isso?

Demonizar a política é burrice. Se eleito, vou continuar sendo um ativista, e poderei fazer muito mais do que já faço. A pressão tem de ser externa e interna, ou não funciona, não passa de berreiro.

DN: O que mudou na sua vida com a experiência de viajar pelo país e estar em contato direto com o povo nas ruas? Você acha que teria motivação para trabalhar pelo interesse público se não tivesse passado pelas situações que passou trabalhando em seu canal no Youtube?

Tudo mudou, minha vida é outra. Agora, tenho contato com todos os Brasis. Desde o interior do interior, onde as pessoas não têm nem banheiro, até os ambientes da elite, que muitas vezes governam a população sem conhecer a realidade. Quero trazer o Brasil real, que trabalha, que produz, que sofre, para dentro da política.

Atualmente são mais de 800 mil inscritos em seu canal no Youtube, e no Facebook Arthur já conta com 1.056.658 de seguidores.

 

5 COMENTÁRIOS

  1. Parabens O Brasil precisa de pessoas que entrem na política em favor do povo e na hora de uma votação importante para o povo na Câmara não se venda por cargos dinheiro acordos políticos etc. pois essas coisas só deixam o Brasil pior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui