Haddad deu R$ 30 mi a grupos de dança que julgavam a si mesmos

COMPARTILHAR

A gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) distribuiu R$ 49,1 milhões para grupos de dança por meio de concursos nos quais muitos dos jurados pertenciam às mesmas cooperativas artísticas dos principais premiados. Na prática, as entidades julgavam a si mesmas. As informações são da Folha.

Nos quatro anos do governo (2013-2016), a Secretaria da Cultura promoveu oito edições do Programa de Fomento à Dança. A maior parte da verba (61%) foi destinada a grupos artísticos de apenas duas associações.

Como proponente jurídico dos projetos, a Cooperativa Paulista de Dança ganhou um total de R$ 19,2 milhões em prêmios (39,1%) para seus associados, e a Cooperativa Paulista de Teatro, R$ 10,8 milhões (21,9%) –juntas, elas receberam R$ 30 milhões.

Ao longo dos anos, as duas cooperativas foram praticamente as únicas a serem convidadas pela Secretaria Municipal da Cultura a integrar os comitês julgadores, formados por sete pessoas.

Quatro membros da comissão eram escolhidos diretamente pelo governo e três, por meio de uma votação entre os competidores a partir de uma lista elaborada exclusivamente pelas entidades convidadas pela secretaria.

Nem  havia convocação pública no “Diário Oficial” do município nem no site da prefeitura. Às escuras, os convites às entidades eram feitos por e-mail.

Das 24 pessoas selecionadas entre os artistas para integrar as comissões, 19 eram das duas cooperativas. Coincidência, não? Outras três foram indicadas pelo movimento “A Dança se Move”, que foi criado sob influência da cooperativa de dança e nem tem registro formal.

Além de afronta que é chamar sempre as mesmas entidades para indicar os candidatos ao júri, com frequência a secretaria nomeava pessoas que são ou que em algum momento foram filiadas às mesmas cooperativas para ocupar os assentos da prefeitura na comissão.

Assim ocorreu, por exemplo, na 21ª edição (2016), quando quatro dos sete jurados tinham ligação com as cooperativas. Algo similar ocorreu na 20ª (2016) e na 19ª (2015).

Como resultado, dos 116 projetos aprovados no período, 87 eram de grupos artísticos representados pelas duas cooperativas (75%).

Presidente da cooperativa de dança, o coreógrafo Sandro Borelli é diretor artístico da Cia. Carne Agonizante, uma companhia que tem 22 peças em seu repertório. A Carne Agonizante foi premiada em três das oito edições do programa da prefeitura (15ª, 17ª e 21ª) na gestão Haddad. Recebeu R$ 1,6 milhão dos cofres públicos.

Já a Companhia Fragmento da Dança, dirigida pela mulher de Borelli, a coreógrafa e bailarina Vanessa Macedo, foi selecionada em duas ocasiões (16ª e 20ª edições), obtendo R$ 1,26 milhão.

Isso significa que na gestão passada, o casal só não foi premiado na 18ª e na 19ª edições, quando Vanessa integrava a comissão de júri, e na 14ª.

Em 2012, durante a campanha de Haddad a prefeito, Borelli escreveu um discurso que foi lido no diretório do PT. “Não viemos aqui pedir mais verba para a cultura. Não viemos em busca do nosso quinhão. Viemos porque queremos uma política pública, de fato, para a dança.”

Mesmo que tenha distribuído R$ 49,1 milhões para grupos de dança, o programa de incentivo da prefeitura não exigia que os beneficiados fizessem apresentações nos equipamentos públicos.

Em cartas enviadas para a atual gestão da Secretaria Municipal de Cultura, três grupos de dança reclamaram dos convites direcionados.

“Exigimos uma resposta plausível e uma retratação da secretaria”, escreveu o grupo Identidade em Movimento. “O grupo vem através desta expressar sua insatisfação”, afirmou o Bach Spin Crew.

“Percebemos a necessidade de rever os mecanismos de composição da comissão”, disse o Fórum de Artes Negras e Periféricas.

Após as manifestações, André Sturm, secretário da Cultura na gestão João Doria (PSDB), cancelou o 22º edital, publicado no final da gestão Haddad, em dezembro.

“O processo seletivo tornou-se antidemocrático em sua natureza, havendo possibilidades reais de que bons projetos não sejam contemplados”, afirmou em documento anexado ao processo de cancelamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui