Presos espancam Jonathan, que assassinou Kelly após “saidinha” da prisão

COMPARTILHAR

Jonathan Pereira do Prado, 33, que assassinou Kelly Cristina Cadamuro, 22, após uma carona combinada pelo aplicativo WhatsApp, tomou uma surra na noite deste sábado (4) por outros detentos no presídio de Frutal (MG).

O crime está se tornando polêmico porque Jonathan só pôde assassinar Kelly porque recebeu o benefício da “saidinha” da prisão, mesmo ele tendo já sido condenado pelo violento crime de assalto à mão armada, que configura uma personalidade violenta e com alto potencial de matar alguém.

Jonathan, que confessou ter matado Kelly na noite de quarta (1) teve diversos ferimentos na cabeça e um corte profundo no supercílio.

A direção da unidade prisional não confirmou se Daniel Teodoro da Silva, 24, outro envolvido no crime e detido na mesma unidade prisional, também foi agredido.

Os presos não aceitam a presença de Jonathan e Daniel no presídio, dado que o crime ultrapassa todas as raias da desumanidade.

A legislação brasileira não prevê pena de morte e nem prisão perpétua para Jonathan e Daniel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui