Alexandre Borges precisa dizer que 1+1 é 2 para a turma do “342 Artes”, mas eles não conseguem entender nem o óbvio

COMPARTILHAR

O jornalista Alexandre Borges escreveu em sua conta no Twitter sobre a campanha encabeçada pelos artistas globais e outros entusiastas que se colocam “contra a censura”.

Se trata do “342 Artes“, um movimento criado em resposta a revolta da sociedade com os casos do Museu de Arte Moderna de São Paulo e do Santander Cultural.

No primeiro, na abertura do 35 Panorama da Arte Brasileira, um registro da performance “La Bête” mostrou uma criança de 4 anos interagindo com um homem nu, com incentivo da mãe, que é uma coreógrafa de dança contemporânea. A identidade dos envolvidos está sendo preservada.

Após grande repercussão o Ministério Público de São Paulo entrou com uma ação civil para investigar se houve violão ao ECA no evento, pois pela legislação é proibido que crianças sejam expostas a nudez.

No segundo caso, Santander Cultural, se tratou da exposição “Queermuseu“, fechada de forma antecipada após boicote da sociedade civil ao banco espanhol Santander. Além de fazer utilização da Lei Rouanet, havia um programa educacional para escolas públicas e privadas, fato que causou grande revolta, uma vez que a maioria da sociedade se colocou contra o ensino da sexualidade em escolas.

Alexandre Borges, em referência aos episódios, se manifestou em rede social sobre a incoerência, inocência ou, quem sabe, oportunismo dos artistas que fingem não entender que a revolta da população nada tem a ver com a manifestações artísticas.

Veja o que ele disse:

1 COMENTÁRIO

  1. Caro Alexandre se a menina passa a mão no corpo nu do homem deitado (arte) e passa a mãozinha macia e ele fica excitado e …sem querer ele EJACULULA TAMBÉM É ARTE? E SE ESSA MENINA FOR SUA FILHA, SOBRINHA….. COMO FICA A EXPLICAÇÃO?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui