PF indicia mulher de Pimentel e ex-presidente do BNDES em investigação 

COMPARTILHAR

A Polícia Federal concluiu em relatório encaminhado ao Supremo Tribunal de Justiça, no âmbito da Operação Acrônimo, que o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), foi auxiliado pelo ex presidente do BNDES, Luciano Coutinho, para atuar em favorecimento do Grupo Casino e não liberar empréstimo que viabilizaria a fusão do Pão de Açúcar com o Carrefour. Na época, Pimentel era chefe do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, também presidia o Conselho de Administração do banco.

O empresário Abilio Diniz, que na época buscava apoio do banco público para a fusão em questão teria sido impedido por uma articulação de Pimentel e Coutinho que impediram a concretização de um empréstimo a Diniz, que disputava o controle do Pão de Açúcar com os franceses do Grupo Casino.

Carolina Oliveira, esposa de Pimentel, recebeu 40% dos valores que foram pagos para uma empresa, conforme apontou o relatório da PF encaminhado ao STJ. Os investigadores acreditam que o repasse é uma contrapartida à inclusão de uma cláusula que desfavorecia Diniz, obrigando o Pão de Açúcar a não possuir qualquer disputa judicial com os franceses para que fosse possível o acesso ao dinheiro do BNDES.

Fonte: Valor Econômico

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Coloque seu nome aqui